SES/SE – Projeto Remédio Musical chega à Oncologia do Huse

Música como ferramenta para promover a saúde. Esta foi a proposta do cantor e compositor Alan Cruz, do município de Livramento de Nossa Senhora, na Bahia, e que reside em Brasília/DF. Ele encantou os pacientes, acompanhantes, visitantes e funcionários do Centro de Oncologia do Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE) com o projeto Remédio Musical.

O projeto social, que já existe desde 2009, em Brasília, leva voluntariamente música e alegria a hospitais, creches, CAPs e casas de idosos, além de escolas públicas. Convidado para divulgar o seu trabalho na oncologia, o músico destaca que a música é um grande remédio para as dores e uma trilha sonora na vida das pessoas.

“Para mim é um prazer muito grande trazer um pouco de alegria e emoção para essas pessoas. Percebemos que cada um lembra de algum fato da sua vida. Eles pedem músicas que recordam algum tempo bom que ficou marcado na memória e no coração. Por isso, digo que é uma trilha sonora na vida deles. Eles participam e cantam com a gente. É tudo muito lindo, o remédio musical faz efeito e contagia”, revelou.

Nos corredores por onde se apresentava, Alan Cruz arrancava aplausos e coros. Foi a forma de agradecimento que os pacientes e acompanhantes encontraram para retribuir o carinho do músico com eles. Uma voz suave para não atrapalhar a consulta e olhares emocionados fizeram parte de todas as apresentações nas recepções dos ambulatórios e nas Salas de Quimioterapia Adulto e Infantil.

A assistente social, Terezinha Meira, desenvolve um trabalho social na creche que leva seu nome localizada no bairro Veneza, além de diversos projetos que abrangem a comunidade. Ela convidou o músico para uma apresentação e divulgação do seu trabalho aqui no estado.

“Ele é maravilhoso e já conheço o seu trabalho voltado para o social. Fiz um convite e ele topou de imediato e escolhemos a oncologia para levar o trabalho e animar aqueles pacientes. A receptividade foi positiva e eles nos acolheram muito bem. Voltaremos mais vezes”, afirmou.

Emoção à flor da pele

A paciente Maria Eliane Ribeiro, 18, está em tratamento de quimioterapia há oito meses. Ela estava de cabeça baixa aguardando o término da medicação quando o musico entrou na sala e conseguiu arrancar da jovem um sorriso que para ela era de esperança. “Muito bonita a voz dele e a música que ele cantou é maravilhosa. Gostei muito e animou o ambiente”, enfatizou.

Terezinha Bispo, 56, estava acompanhando o marido que fazia mais uma sessão de quimioterapia. Ela aplaudia e cantava emocionada. “Que momento mais lindo. Essas músicas me lembram só coisas boas. Estou recordando grandes momentos da minha vida. Gostei muito da presença dele aqui e pode vir mais vezes”, disse.

Leda Maria Santos, 60, continua fazendo os acompanhamentos com os médicos e tomando a medicação. Ela disse que vai voltar pra casa mais animada depois de ouvir as canções. “Parece que ele toca lá no fundo da nossa alma. Eu cheguei aqui tão triste, com a cabeça baixa, mas agora com essas canções lindas vou voltar sorridente e reanimada pra casa”, concluiu sorridente.

<-Voltar