SOS Emergências já mostra melhorias relevantes no IJF (CE)

Após três meses do lançamento do S.O.S Emergências no Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza (CE), os primeiros resultados já podem ser conferidos. O número de pacientes traumatológicos em macas nos corredores foi reduzido. Na semana passada, por exemplo, apenas nove pessoas foram atendidas nos corredores – o menor número já alcançado pelo IJF nos últimos meses. A média diária era de 30 pacientes. Esta melhoria se deve a diversas ações implementadas pelo Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH), inserido pelo S.O.S Emergências, após o diagnóstico das principais dificuldades no atendimento do pronto-socorro e as parcerias com hospitais da rede particular, que diminui a superlotação na instituição.

Outra medida tomada pelo núcleo foi a transferência de pacientes para outras unidades, possibilitada por um contrato com o Pronto Socorro dos Acidentados (PSA) e com o Hospital Distrital Dr. Fernandes Távora. O primeiro atende pacientes traumatológicos e o outro recebe pacientes clínicos neurológicos. O contrato foi intermediado pela Secretaria Municipal de Saúde.

Parceria – O contrato com o Pronto Socorro dos Acidentados (PSA) equivale a 30 leitos. Em pouco mais de dois meses, foram transferidos 150 pacientes traumatológicos para esta unidade. E com o hospital Fernandes Távora são 20 leitos. Desde o início deste mês, cinco pacientes neurológicos são transferidos por dia. Considerando uma média de permanência de sete dias/paciente, cerca de 80 podem ser atendidos por mês no Fernandes Távora. “Isso inclusive nos dá uma boa margem de segurança”, acrescenta o diretor executivo do IJF, Casemiro Dutra.

A verba do Ministério da Saúde para Autorização de Internação Hospitalar (AIH) será de R$ 200,00 para leitos de longa permanência e de R$ 300,00 para curta permanência. A diferença entre valores é uma estratégia para buscar maior resolutividade. Sem a parceria, o valor de tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) é de R$ 100,00 para ambos os leitos.

Os traumas respondem por 72% dos atendimentos no IJF. Se acrescentados os traumas crânio-encefálicos, o percentual sobe para 90%, o que comprova a necessidade de dar maior atenção às duas especialidades para desafogar o pronto-socorro.

Dentro do próprio IJF também já houve mudanças para melhorar a assistência do pronto-socorro. Em janeiro, foram abertas duas enfermarias, com 10 leitos em cada uma – o que ampliou a capacidade da emergência em cerca de 50%. E o número de leitos desse tipo passou de 40 para 60.

Fonte: Mônica Lucas /Agência Saúde

<-Voltar