Tocantins – Sesau reúne municípios para tratar da Campanha de Poliomielite

Municípios da Macroregião de Palmas se reuniram nesta segunda-feira, 03, junto com a Coordenação Estadual de Imunização para orientações sobre a 1ª Etapa da Campanha Nacional de Vacinação da Poliomielite e atualização em sala de vacina. O evento acontece até esta terça-feira, 04, no Auditório do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, das 08h às 12h e das 14h às 18h.

A Campanha este ano acontecerá no período de 08 a 21 de junho, sendo que para o Tocantins estão disponíveis 250 mil doses da vacina. A intenção é vacinar 95% do total de 125.800 crianças de 06 meses a menor de cinco anos.

De acordo com a coordenadora de imunização da Secretaria Estadual de Saúde – Sesau, Marlene Alves, a principal mudança é quanto a vacinação do recém nascido. “Antes, quando a criança nascia, ela já participava da Campanha Nacional recebendo as famosas gotinhas contra a poliomielite. Agora, até os 6 meses a criança não participa da Campanha Nacional com a gotinha e sim recebe a vacina na forma injetável”, explicou a coordenadora.

As vacinas já estão disponíveis em todas as unidades básicas de saúde, sendo que os pais deverão levar a caderneta de saúde da criança. Um dos principais pontos abordados no encontro foi a forma de mobilização de que cada município deve fazer para atingir a meta. Uma das participantes foi a enfermeira Jandete de Fátima Alves, de Lagoa do Tocantins. Para ela o evento é uma reciclagem profissional. “Aqui a gente troca experiência sobre como um município esta conseguindo atingir a meta, como devemos fazer, e isso é muito importante para que nós, que estamos na ponta deste processo, conseguimos realizar o nosso trabalho”, disse a enfermeira.

Poliomielite

Poliomielite, ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus (sorotipos 1, 2, 3), que pode infectar crianças e adultos por via fecal-oral (através do contato direto com as fezes ou com secreções expelidas pela boca das pessoas infectadas) e provocar ou não paralisia.

A multiplicação desse vírus começa na garganta ou nos intestinos, locais por onde penetra no organismo. Dali, alcança a corrente sanguínea e pode atingir o cérebro. Quando a infecção ataca o sistema nervoso, destrói os neurônios motores e provoca paralisia flácida em um dos membros inferiores. A doença pode ser mortal, se forem infectadas as células dos centros nervosos que controlam os músculos respiratórios e da deglutição.

A poliomielite foi praticamente erradicada nas áreas desenvolvidas do mundo com a vacinação sistemática das crianças e no Brasil há 24 anos não é registrado casos da doença, mas o vírus ainda está ativo em alguns países da África e da Ásia. Para evitar que seja reintroduzido nas regiões que não registram mais casos da doença, as campanhas de imunização devem ser repetidas todos os anos.

Sintomas

O período de incubação varia de 5 a 35 dias, com mais frequência entre 7 e 14 dias. Na maioria dos casos, a infecção pelo vírus da poliomielite pode ser assintomática. Isso não impede sua transmissão, pois é eliminado pelas fezes e pode contaminar a água e os alimentos.Quando se manifestam, os sintomas variam de acordo com a gravidade da infecção.

Escrito por Maria Tereza Lemes

<-Voltar