Aeroporto de Brasília ganha ponto de testagem contra a covid-19

Quem não apresenta sintomas da doença, mas teve contato com alguém infectado, pode fazer o teste

Passageiros que desembarcarem em Brasília poderão realizar o teste contra a covid-19 na área de desembarque nacional. O posto avançado foi inaugurado, nesta quinta-feira (23), pelo secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache. “Testar hoje, neste momento em que estamos vivendo, com a chegada da ômicron aqui em Brasília, é muito importante. Estamos fazendo um grande esforço para difundir a testagem na sociedade”, afirmou o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache. No aeroporto, é utilizado o teste rápido imunocromatográfico, mais conhecido como o teste do cotonete.

Ação tem como objetivo possibilitar o diagnóstico precoce – Foto: Breno Esaki, da Agência Saúde DF

A Secretaria de Saúde também modificou os critérios para a realização dos testes. Agora, não é mais necessário apresentar os sintomas. A recomendação é que ao ter contato com alguém infectado, o teste seja feito em até 14 dias, mesmo sem a presença de sintomas. O ideal é que a coleta ocorra no quinto dia após o contato. Também é possível fazer o mesmo procedimento em uma das Unidades Básicas de Saúde do DF.

Ao desembarcar na tarde desta quinta, em Brasília, Claudia Mancebo foi uma das primeiras pessoas a ser atendida no novo posto. Ela chegou da capital pernambucana para suas primeiras férias desde o início da pandemia. “Eu fiz para a minha segurança e da minha família”, assegurou. Com o resultado negativo pronto em 20 minutos, ficou mais tranquila para aproveitar a visita à Capital.

“Essa ação possibilita o diagnóstico precoce, mesmo de casos leves ou assintomáticos. Assim, essa pessoa vai ficar isolada com segurança em sua casa e evitará uma possível transmissão para outras pessoas”, explicou o subsecretário de Vigilância à Saúde substituto, Fabiano dos Anjos.

O secretário de Saúde ressaltou o apoio da Inframérica, do SESC e da Secretaria de Turismo para levar a testagem até o Aeroporto, local de grande fluxo de passageiros, sobretudo nas próximas semanas. “A gente traz os nossos recursos humanos. O que pudermos fazer para conter uma nova onda, nós vamos fazer”, disse Wanderson Santos, supervisor de saúde do SESC. “A colaboração de todos é muito importante, de união de esforços para o enfrentamento dessa pandemia”, completou o gerente de Administração Comercial da Inframérica, Caio Cunha.

Por Lorena Santana e Humberto Leite

Edição: Margareth Lourenço

Revisão Juliana Sampaio

Foto: Breno Esaki, da Agência Saúde DF

<-Voltar