Ministério da Saúde abre consulta pública para diretriz clínica para a atenção odontológica da gestante na APS

A promoção da saúde bucal da gestante é um importante passo para garantir o cuidado integral em saúde, fortalecendo a qualidade de vida da mãe e da criança. Pensando nisso, a Coordenação de Saúde Bucal do Ministério da Saúde disponibiliza, a partir dessa terça-feira (15/6) e até o próximo dia 25, a Diretriz Tratamento Odontológico em Gestantes para consulta pública. As contribuições serão avaliadas e incorporadas ao documento que dará suporte ao trabalho realizado na saúde bucal da Atenção Primária à Saúde. Clique aqui para ler o documento preliminar e aqui para participar da consulta.

A proposta integra o projeto inédito de construção de Diretrizes Clínicas para a Saúde Bucal na APS do MS, em parceria com o Global Observatory for Dental Care – GODeC, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Um dos principais objetivos das Diretrizes é desenvolver, disseminar e prover acesso às recomendações baseadas em evidências científicas para a promoção das melhores decisões de tratamento e prática dos cirurgiões-dentistas da Atenção Primária à Saúde (APS).

De acordo com a coordenadora de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Caroline Martins, é preciso que os profissionais das equipes de saúde bucal estejam seguros e bem respaldados pela ciência para o manejo das gestantes.

“Com a diretriz, as equipes e usuários poderão desmitificar alguns tabus relacionados ao atendimento odontológico de grávidas, buscando nela e em todos os estudos consultados evidências que apoiem sua prática. Essa diretriz e as outras 23 que estão em formulação são uma entrega inédita para apoiar as equipes de saúde bucal, aproximando a prática cotidiana da ciência e motivando os profissionais a se manterem atualizados sempre, em busca da oferta de cuidado mais qualificado”, explica Caroline.

Segundo o responsável pela concepção geral e supervisão metodológica do projeto, o professor da UFPel Maximiliano Cenci, o intuito dessa inciativa é responder à necessidade de criar um grupo dedicado ao desenvolvimento e disseminação de diretrizes focadas em saúde bucal no contexto mundial, mas com forte ênfase no Brasil e no contexto latino-americano.

“A parceria com a CGSB permitiu, em um curto prazo de tempo, um interessante trabalho de identificação de temas prioritários e das diretrizes existentes no mundo sobre esses temas e um trabalho de adaptação dessas diretrizes ou de desenvolvimento de novas diretrizes contextualizadas para a realidade brasileira e a APS no SUS”, destaca Cenci.

Espera-se ainda que o material dê suporte à realização da consulta odontológica durante o pré-natal das gestantes. A consulta odontológica durante o pré-natal das gestantes acompanhadas pela APS é compromisso de todas as equipes e gestores municipais desde a criação do indicador no programa de financiamento da Atenção Primária à Saúde, o Previne Brasil.

Parceria com a Universidade Federal de Pelotas/UFPel 

A CGSB tem entre suas agendas prioritárias para 2021 o desenvolvimento de 24 diretrizes clínicas (ou conjunto de recomendações) em temas considerados prioritários para a APS. Os temas foram definidos com base em análises de dados assistenciais em saúde bucal na APS, consulta às principais ações propostas na carteira de serviços da APS e identificação de condições e agravos sistêmicos com relevante interface com a saúde bucal.

As 24 diretrizes estão distribuídas em grupos que abarcam recomendações clínicas para a APS, sendo eles: agravos e condições sistêmicas de manejo interdisciplinar; agravos bucais em crianças; agravos periodontais; lesões de cárie; e agravos bucais mais frequentes na APS. A agenda vem sendo executada em parceria com o Godec-Ufpel e  conta com a presença de 13 pesquisadores, que realizam as buscas e a síntese de dados e que, em conjunto com a CGSB,  conduzem e organizam os painéis de especialistas e desenvolvem as recomendações clínicas.

Com a definição dos temas e questões estruturantes para a assistência odontológica na APS pelo Ministério da Saúde, o GODeC inicia a busca de diretrizes clínicas baseadas em evidências existentes que possam responder a tais questionamentos (com a utilização das ferramentas internacionais de adaptação de diretrizes para a prática clínica), ou propõe novas diretrizes, seguindo os passos da colaboração GRADE (The Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation).  Para os próximos meses, outras diretrizes serão submetidas a consulta pública para a obtenção de contribuições de toda a sociedade.

Fonte: Ministério da Saúde

<-Voltar