Saúde aplicou 147 mil doses contra a Covid-19 em pessoas de outros estados

O Distrito Federal já aplicou, até a última segunda-feira (21), 1.233.691 doses de vacinas contra a Covid-19. Desse total, 147.995 foram administradas em residentes de outras unidades da federação. A Secretaria de Saúde lembra que o acesso ao Sistema Único de Saúde é universal e que, para a primeira dose, não cobra comprovante de residência do DF. No entanto, para receber a dose de reforço, é necessário ter iniciado o esquema vacinal na capital federal.

Como primeira dose, o Vacinômetro aponta que 902.439 pessoas já foram vacinadas. Cerca de 11% dessas doses foram aplicadas em moradores fora da capital. A maioria, 46.291, veio do Goiás, seguidos por 11.711 mineiros; 6.894 paulistas; 6.364 fluminenses; 4.833 baianos e 3.094 piauienses.

A segunda dose foi aplicada 331.252 vezes durante a campanha de vacinação. Foram 20.962 goianos imunizados com o reforço; 5.474 moradores de Minas Gerais; 2.750 de São Paulo; 2.696 do Rio de Janeiro; 2.186 da Bahia e 1.442 do Piauí.

Embora não haja restrição na aplicação da primeira dose para aqueles que não residem na capital, a segunda dose será aplicada somente em pessoas que iniciaram o esquema vacinal em solo brasiliense, conforme o cartão de vacinação. A medida, segundo a Secretaria de Saúde, é necessária para garantir que os cidadãos não fiquem desassistidos sem a dose de reforço.

A exceção é para moradores do Distrito Federal que tomaram a primeira dose em outro estado e desejam concluir a vacinação próximo de casa. Neste caso, o cidadão poderá receber a D2 apresentando justificativa via Ouvidoria.

Boletim semanal

Os dados apresentados acima foram divulgados no balanço semanal da Secretaria de Saúde com dados extraídos do e-SUS Notifica, do Ministério da Saúde, alimentado pela pasta. Através das informações do Cartão Nacional de Saúde é possível identificar o local de residência do cidadão.

O balanço aponta que 96% dos trabalhadores da Saúde, seja da rede pública ou privada, iniciaram o esquema vacinal e 71,2% concluíram. O boletim traz o número de doses que foram perdidas durante a campanha. Lembrando que 10% das doses recebidas são reservadas tecnicamente para suprir tais perdas. O número leva em conta o total de imunizantes disponíveis.

Houve a perda de 7.066 doses, sendo que 6.509 ocorreu por volume insuficiente no frasco. A pasta lembra que no dia 5 de março a Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorizou que o Instituto Butantan reduzisse o envase da vacina CoronaVac passando de 6,2 mil para 5,7 ml. Após essa data, houve um aumento significativo de queixas técnicas de volume inferior ao descrito em bula.

Cobertura vacinal

A cobertura vacinal no DF atingiu 39,07% para D1 e 14,34% para D2 considerando a população elegível para vacinação, que são adultos a partir de 18 anos. Nos grupos com indivíduos com mais de 70 anos, a cobertura de primeira dose ultrapassou a expectativa de vacinação, atingindo mais de 100%. Com a dose de reforço, os grupos de 75 anos ou mais ultrapassaram os 100% de cobertura e o grupo de 70 a 74 anos está próximo desse percentual.

A cobertura vacinal em grupos que supera os 100% ocorre porque foram aplicadas vacinas além da expectativa do público dessas faixas etárias. Isso acontece porque muitas pessoas que residem em outras unidades da federação se vacinaram no DF.


Por: Johnny Braga, da Agência Saúde – DF 
Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF
Acesse outras notícias aqui.
Acesse a galeria e fotos  aqui
Siga as redes sociais da Secretaria de Saúde:
Instagram / Twitter: @secsaudedf
Facebook: @sesdistritofederal 
<-Voltar