Secretaria de Saúde faz operação emergencial para evitar desabastecimento de vacina nos municípios

A Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa) está fazendo uma operação emergencial para avaliar a situação dos municípios paranaenses com relação às vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. Nos últimos anos, o PNI, que já foi o espelho da saúde pública brasileira, detentor de vários prêmios, vem passando por muitos abalos.

“O Paraná, assim como outros Estados, está recebendo doses em quantidades insuficientes de quase todas as vacinas do programa. Um exemplo é o caso da meningocócica C conjugada. A nossa demanda é de 88 mil doses por mês e o ministério envia uma média de 66 mil. Ou seja, uma quantia bem abaixo da necessária”, diz o diretor geral da SESA, Nestor Werner Junior.

Foto: Divulgação

Por isso, a secretaria está fazendo um levantamento minucioso do estoque de cada uma das Regionais de Saúde, para que a nova gestão possa tomar providências.

Para evitar o desabastecimento e atender a população da melhor forma possível, a Secretaria de Saúde já está fazendo um remanejamento entre as Regionais. “Nós estamos atentos a esse problema. Vamos fazer um contato ainda mais próximo com o Ministério da Saúde, do atual governo federal, para buscar uma alternativa para essas questões. A população precisa das vacinas e nós vamos em busca de uma solução para esses problemas”, afirma o diretor.

A secretaria já tomou providências com relação à região de Cascavel, onde foi comprovada a falta da vacina Meningo C. Até o fim desta semana, as Regionais de Saúde do Oeste e de parte do Sudoeste vão receber as vacinas. Para Cascavel, por exemplo, serão entregues 2.880 doses da Meningo C, número suficiente para atender a demanda atual. Junto com este lote, serão enviadas também 2 mil doses da vacina DTP (contra difteria, tétano e coqueluche).

Para fazer a gestão dos estoques, a nova gestão da SESA vem fazendo um alerta constante para que os municípios preencham corretamente o sistema de informações. Dessa forma é possível fazer o remanejamento da vacina o mais rapidamente possível para evitar o desabastecimento.

“A Secretaria de Saúde lamenta a falta de planejamento do Ministério da Saúde, no governo anterior, pois os reflexos são sentidos por todos os paranaenses”, comenta o diretor geral.

Fonte: Ascom SES/PR

<-Voltar