Técnicos da Sesapi participam de oficina para formação de multiplicadores em Segurança do Paciente

Mais de 40 pessoas de diferentes municípios do Piauí estão participando da Oficina

Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI) estão participando hoje (21), no município de Floriano, da oficina de formação de multiplicadores do projeto Segurança do Paciente na Atenção Primária à Saúde, desenvolvido pelo Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre e acompanhado pelo Programa Nacional de Segurança do Paciente do Ministério da Saúde, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS). “Trata-se de um projeto de formação sobre Segurança do paciente para os profissionais envolvidos no projeto de planificação de atenção à Saúde, através de diferentes estratégias de formação”, explicou a diretora da Vigilância Sanitária do Estado (Divisa), Tatiana Chaves.

Mais de 40 pessoas de diferentes municípios do Piauí estão participando da Oficina. “Esses municípios são os mesmos que estão participando do PlanificaSUS. A ideia é que esse grupo multiplique os conhecimentos para implantar o processo em toda a região de Floriano”, ressaltou a diretora da Unidade de Vigilância em Saúde da Sesapi, Cristiane Moura Fé.

Durante os dias da oficina, os facilitadores do projeto foram orientados sobre diversos aspectos relevantes para o processo de entendimento da segurança do paciente e sua multiplicação, principalmente através de ferramentas para tornar o processo de trabalho na APS mais seguro.

Além dos principais conceitos, foram abordados ainda a magnitude e impacto do problema para a população brasileira e para o trabalho na APS; a segurança da medicação e do diagnóstico; o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) e suas metas; o trabalho em equipe e a comunicação e o envolvimento do paciente no cuidado.

Em 2018, o Piauí ocupou o 6° lugar no ranking nacional da Autoavaliação de Boas Práticas de Segurança do Paciente, realizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O resultado é de grande relevância para o Estado para a realização de monitoramento e motivação das ações de segurança do paciente desenvolvidas pelos estabelecimentos assistenciais de saúde.

Por: Cyntia Veras 

<-Voltar