Testes de covid garantem segurança após festas de fim de ano

Secretaria de Saúde montou estruturas para testagem no Aeroporto, na Rodoviária do Plano Piloto e nas unidades básicas de saúde

Natal, Réveillon, confraternizações, encontros familiares e viagens. Após dias agitados no fim de 2021 e no começo de 2022, a população do Distrito Federal pode tirar uma dúvida que tem deixado muita gente preocupada: “Afinal, estou ou não com covid-19?”. Além das unidades básicas de saúde, pontos avançados para testagens foram montados na Rodoviária do Plano Piloto e no desembarque do Aeroporto Internacional de Brasília. Pode testar quem está com sintomas da doença ou teve contato com alguém contaminado.

Foi o caso do militar Carlos Alberto Marinho. Ele viajou de carro com a família para Salvador, na Bahia, e sofreu para fazer o caminho de volta. “Cheguei tossindo, com febre e espirros. Agora estou mais tranquilo”, contou. Ele foi atendido no posto de vacinação montado na Rodoviária do Plano Piloto, que funciona de segunda a sexta-feira das 8h às 17h. Em 20 minutos, recebeu a confirmação de que não estava com covid-19. Foi o mesmo resultado para o professor Gabriel Santos da Silva, que elogiou a disponibilidade dos testes no local. “Ajuda bastante e até estimula as pessoas a fazerem o teste”, avaliou.

Montado em parceria com o Sesc, o ponto de testagem foi inaugurado em 30 de dezembro, e tem atraído moradores de todo o Distrito Federal. “O fluxo começou a aumentar. Recebemos desde idosos até jovens, vindos de todas as regiões. Também temos sido procurados por pessoas em situação de rua”, conta a enfermeira Aline Gonçalves, do Sesc.

Desembarque

Com movimento de 285 mil passageiros somente entre 27 de dezembro e 2 de janeiro, o Aeroporto de Brasília também conta com um ponto de testagem para a covid-19. O local, estruturado em parceria com a Secretaria de Turismo, o Sesc e a Inframérica, fica próximo às esteiras de restituição de bagagem do desembarque nacional e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Os resultados saem em até 30 minutos.

Nesta segunda (3), o casal de dentistas Fernando e Samya Frascino aproveitou o tempo de conexão no aeroporto brasiliense para tirar a dúvida sobre o vírus. Vindos de Santarém (PA) e com destino a São Paulo (SP), eles decidiram testar antes de seguir viagem. “Nós tivemos contato com uma pessoa que depois disse estar contaminada. Ela está com sintomas leves”, explicou Fernando. O casal segue os protocolos de segurança e os dois já receberam as duas doses de vacina e a adicional contra a covid-19.

Vacinados devem testar

Essa necessidade é explicada pela médica Lívia Vanessa Ribeiro, referência técnica distrital em infectologia. “A vacina protege contra formas graves e críticas da doença e óbitos. Reduz a transmissibilidade, mas não a impede. Portanto é preciso testar até para resguardar e manter distanciamento das demais pessoas, evitando propagação da doença”, explica.

A médica esclarece que, assim como os adultos, crianças também devem ser testadas em caso de apresentarem sintomas ou terem tido contato com alguém infectado. A infectologista esclarece que “ter contato” significa residir no mesmo domicílio ou ter permanecido a menos de um metro de distância por mais de 15 minutos. Caso o exame seja positivo, a pessoa será orientada sobre o isolamento, que deverá cumprir, e a respeito do seu estado geral de saúde.

Em caso negativo, é preciso também ter atenção: testes do tipo antígeno devem ser repetidos 24 a 48 horas após a primeira realização. E, dependendo dos sintomas, a pessoa deve procurar assistência médica por poder se tratar de outra doença, como a Influenza.

Por Humberto Leite, da Agência Saúde-DF
Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

<-Voltar