Estudos sobre a Planificação da Atenção à Saúde no Brasil

Publicação apresenta resultados da estratégia alcançados em todo o país

O Conass lançou nesta tarde mais um volume do caderno Conass Documenta – estudos sobre a Planificação da Atenção à Saúde no Brasil – 2008 a 2019: Uma revisão de escopo.  A publicação mapeou as referências publicadas nas bases de dados em saúde e na literatura cinza (teses, dissertações, trabalhos de conclusão de curso e de residência multiprofissional e outros) que possuíssem descritores relacionados a Planificação da Atenção à Saúde (PAS) e que se referissem às atividades executadas pelo Conass, entre 2008 a 2019, em diferentes territórios do país. Utilizou-se da Revisão de Escopo, destinada ao processamento de quantidades e variedades de dados, possibilitando mapeamento, sistematização e caracterização da literatura.

O lançamento ocorreu no último dia do I Seminário Nacional Conass-Conasems, realizado virtualmente de 9 a 11 de dezembro, e cujo o último dia foi dedicado às discussões sobre a Planificação de Atenção à Saúde (PAS) em todo Brasil. A iniciativa do Conass tem o Hospital Albert Einstein como parceiro e foco no auxílio da estratégia para o enfrentamento da pandemia.

Maria José Evangelista

Zélia Lins

Maria José Evangelista, assessora técnica do Conass responsável pelo projeto, explicou que a planificação trata-se de uma estratégia que o Conass desenvolveu para auxiliar o planejamento e a organização da Atenção Primária à Saúde (APS) integrada às atenções Ambulatorial Especializada (AAE) e Hospitalar (AH), formando a Rede de Atenção à Saúde. O objetivo principal é apoiar o corpo técnico das Secretarias Estaduais de Saúde e dos municípios na organização desta rede de atenção.

“Todos os anos o Conass realiza um seminário para apresentação do desenvolvimento da planificação em todo país e estimula o registro escrito das experiências, o que resultou nesta publicação”, relatou. No total, foram encontrados 235 registros da PAS, dos quais 136 são apresentados no caderno.

A organizadora da publicação, Zélia Lins, explicou que um dos critérios para a participação na publicação era de que a experiência tivesse ao menos um ano de implementação. “Fiquei duplamente feliz porque participamos de todo o processo, com tantos colaboradores e facilitadores do Conass, de reacreditar na potencialidade da APS, que ela poderia ser o centro e a coordenação de toda a rede, e também por poder reunir esses dados que resultaram num produto no qual constam artigos, TCCs, dissertações e todas as experiências enviadas”, destacou. O livro traz o resumo de cada estudo e relato e conta com QRcodes para acesso ao conteúdo completo das experiências e contato do autor principal.

“Ver o produto desse trabalho, o quanto ele impactou positivamente o serviço de saúde prestado tanto pela atenção primária quanto pela especializada – nos indicadores de saúde, no manejo das condições crônicas, na satisfação dos profissionais e dos usuários, nos leva a acreditar que isso é possível quando o gestor se compromete e institui a planificação como uma política de estado. Essa decisão política é uma potencialidade para mudar o modelo de atenção à saúde e a gestão baseada na necessidade das pessoas e em resultados”, finalizou Zélia Lins.

A publicação está disponível gratuitamente na página do Conass.

<-Voltar