Goiás – Hugo realiza trabalho pioneiro no atendimento odontológico

Pioneiro, o Hugo é um dos poucos do País que prestam atendimento odontológico diário a pacientes. Tal sua importância e determinante para a saúde geral de internados, o serviço deve virar lei este ano.

Um tiro, um acidente inesperado e, de repente, quem até então tinha uma vida normal, pode passar a precisar de cuidados especiais. Casos não tão incomuns que levam as pessoas a uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Há quem fique meses internado e completamente dependente. É nessa hora que um cuidado a mais faz toda a diferença. Tão importante quanto outros na rotina hospitalar é a assistência odontológica.

Para muitos soa estranho um hospital especializado no tratamento de emergência, com casos complexos, ter odontólogos em seu quadro. Mas, esse tipo de cuidado é essencial para o estado geral do paciente e tão importante quanto tratar outros órgãos do corpo humano.

A odontologia hospitalar é tão indispensável que vai virar lei federal. Em outubro de 2013, o Projeto de Lei Complementar  34/2013 foi aprovado por unanimidade no Senado Federal. O projeto prevê a obrigatoriedade da presença de cirurgiões dentistas em UTI e que pessoas internadas em enfermarias, também tenham o atendimento adequado para a saúde bucal. No Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) esse serviço já acontece.

“O Hugo é um hospital pioneiro, um dos poucos do País com um serviço de odontologia montado e trabalhando diariamente na busca da saúde e bem estar das pessoas internadas”, explica Maria Mônica Caixeta, coordenadora da Seção de Odontologia Hospitalar. Vale lembrar que a boca é a porta de entrada para infecções graves e que este trabalho ajuda a evitar o aparecimento de novas infecções, colaborando para um recuperação rápida e completa dos pacientes.

A prevenção é a palavra-chave aqui. Se na maioria dos hospitais do Brasil o atendimento odontológico se restringe à demanda, quando o dentista é chamado para um atendimento pontual, no Hugo ele é rotina. Todos os dias os odontólogos do hospital visitam os pacientes, em especial aqueles que estão nas UTI e que não têm como realizar a higiene bucal. “Essas pessoas ficam mais fragilizadas e registram maior queda no sistema imunológico. Uma pequena cárie ou bactéria poderia vir a atacar seu organismo e causar muitos problemas, se o serviço de odontologia não existisse”, destaca Maria Mônica.

O atendimento feito diariamente permite o monitoramento da saúde bucal do paciente. Bactérias e vírus que se proliferam, em especial quando o paciente está entubado – respirando por aparelhos – são encontrados e eliminados. Essa prevenção, desenvolvida pelo serviço de odontologia do Hugo, evita ainda que pneumonias graves, associadas à ventilação mecânica, apareçam e prejudiquem a saúde do paciente.

Fonte: Ascom SES/GO

<-Voltar