Roraima – Sesau cria sala para enfrentamento ao zika vírus

Daniela Souza, coordenadora da Vigilância em Saúde: “O Estado está adotando todas as medidas necessárias para conter o avanço do mosquito, mas se a população não colaborar, essas ações não surtirão efeito”

Para avançar no combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da zika, dengue e chikungunya e barrar o avanço das doenças transmitidas por este vetor, a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) vai instalar uma sala de situação para gerenciamento e controle das ações de combate aos vírus.

A sala está em fase final de criação e irá definir diretrizes para intensificar o combate em todo o Estado, além de consolidar e divulgar informações sobre as ações e os resultados obtidos. Até a próxima semana, as equipes iniciarão o monitoramento diário e em tempo real dos indicadores do Aedes e dos casos de zika e de microcefalia.

A coordenadora-geral de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, explicou que a medida irá proporcionar a articulação junto a órgãos como Defesa Civil, Ministério Público, e outras secretarias para ação mais efetiva a fim de garantir que a meta de controle vetorial seja atingida.

Além disso, desde o início das investigações sobre a relação entre a zika e a microcefalia, o Governo do Estado tem atuado. Por meio da Sesau, está adquirindo 300 kits para agentes de endemias, 80 bombas costais para pulverização de larvicida em todos os municípios, além de dois aparelhos de ultrassonografia, para dar suporte ao diagnóstico de eventuais casos de microcefalia na Maternidade e no CRSM (Centro de Referência de Saúde da Mulher). A expectativa é que o processo seja finalizado nos próximos dias.

A Sesau criou o comitê de emergência em Saúde Pública para monitoramento epidemiológico, enviou notas técnicas com informações sobre o protocolo de vigilância para a zika a todos os municípios e vai intensificar os treinamentos para fortalecer o diagnóstico na Atenção Básica [postos de saúde], que é a porta de entrada para os pacientes com sintomas da doença.

A CGVS (Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde) já promoveu treinamentos aos profissionais do HMINSN (Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth), para reforçar o diagnóstico de zika e possíveis casos de microcefalia na unidade, onde são realizados cerca de 90% dos partos do estado. Nesta ação, gestores, especialistas e profissionais de saúde recebem diversas orientações para promoverem a identificação precoce da virose e os cuidados especializados da gestante e do bebê. Novos treinamentos serão realizados para abranger outros aspectos da doença, principalmente junto aos profissionais do programa Mais Médicos, na Atenção Básica.

DADOS – De acordo com o Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), em 2015 foram registrados 951 casos confirmados de dengue. Em relação aos dados de zika, foram 18 casos confirmados no município de Boa Vista e 3 em Mucajaí, totalizando 21 casos em todo o Estado. Já para chikungunya, foram registrados 17 casos confirmados no mesmo período.

CAMPANHA EDUCATIVA– Ainda nesta semana, a Sesau vai lançar uma campanha publicitária para mobilização da sociedade no combate à doença.  No entanto, o poder público precisa contar com a população para que as ações surtam efeito.

“O mosquito se reproduz em poucos dias, demandando um monitoramento constante, que ninguém melhor que cada morador para realizar esta função. Se cada pessoa eleger um dia da semana para realizar um check-list em seus quintais, pelo menos uma vez por semana que é o período de reprodução do Aedes aegypti, em poucos meses conseguiremos reduzir os índices de infestação”, enfatizou Daniela.

Por: Yana Lima / Secom / Sesau

<-Voltar