Debate virtual – Os Desafios da Redução da Mortalidade Materna no Brasil

 

O próximo Debate Virtual do Conass irá tratar do aumento da mortalidade materna no Brasil, em especial àquele relacionado à Covid-19. O país vem apresentando crescimento no número de óbitos desde 2016, se distanciando da meta de redução de 75% da mortalidade materna, estipulada pela Organização da Nações Unidas (ONU), na pactuação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Apesar dos avanços conquistados, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, entre 1990 e 2015, as mortes caíram de 143 para 60 a cada 100 mil nascidos vivos (redução de 58%). No entanto, em 2016, o número volta a subir e novos objetivos – chamados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – foram propostos para serem alcançados até 2030, sendo a meta brasileira relacionada à mortalidade materna de 30 mortes a cada 100 mil nascidos vivos.

Mortalidade materna é todo óbito causado ou relacionado à gestação (durante a gravidez, no parto, ou até em 42 dias após o parto). Segundo o Ministério da Saúde, em sua maioria, as mortes são geradas por hipertensão, infecções, hemorragias ou abortos forçados. Segundo a OMS, cerca de 92% dos óbitos maternos são evitáveis. Neste debate, o Conass propõe a discussão de como diminuir a mortalidade materna, potencializada pela Covid-19 e pela descontinuidade da atenção à saúde da gestante de risco nas unidades de saúde, reforçando que o pré-natal e o parto são essenciais e não podem ser interrompidos, em nenhum dos níveis de atenção à saúde, e que, por serem grupos de risco da Covid-19, gestantes e puérperas devem ter acesso facilitado a cuidados intensivos e à internação em leitos de UTI.

A iniciativa faz parte da implantação do Guia Orientador do Enfrentamento da Covid-19 na Rede de Atenção à Saúde, elaborado em parceria com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Participarão do debate o coordenador técnico do Conass, Fernando Cupertino; a coordenadora Estadual de Saúde da Mulher da SES/MA, Ananda Marques; a médica e pesquisadora de Saúde da Criança e da Mulher, coordenadora de Ações Nacionais e de Cooperação da Fiocruz/Ministério da Saúde, Maria Auxiliadora Gomes; a enfermeira e coordenadora da Política de Saúde das Mulheres de Caxias/MA, Amanda Costa; a enfermeira e coordenadora do Núcleo de Ensino e Pesquisa do Centro Especializado em Assistência Materno Infantil De Caxias/MA, Aliny Pedrosa; e a médica neonatologista e secretária adjunta da SES/BA, Tereza Paim. A mediação do debate será feita pela assessora técnica do Conass, Eliana Dourado.

Perguntas poderão ser enviadas pelo www.conass.org.br/participe

O debate será transmitido pelo Portal do Conass: www.conass.org.br e pelos canais do Conselho no YouTube e no FaceBook . Participe!

Ascom Conass

ascom@conass.org.br

(61) 3222-3000

<-Voltar