Mostra Nacional premia 50 experiências das SES no enfrentamento da pandemia

Entre os dias 30 de novembro e 02 de dezembro aconteceu a apresentação dos trabalhos selecionados para a Mostra Nacional de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde em Tempos de Pandemia: experiências dos (as) trabalhadores (as) do SUS no Enfrentamento da Covid-19.

O presidente do Conass, Carlos Lula afirmou que é dever dos gestores incentivar mostras como essa e que a pandemia fez com que repensássemos muitos temas que para a sociedade eram supostamente pacíficos, como por exemplo, acreditar na ciência. “Toda vez que reafirmamos nosso compromisso em fazer ciência nos comprometemos com a verdade e com métodos que muitas vezes não são fáceis, mas precisamos fazer o certo e não o fácil”.

Lula chamou a atenção para a maior lição da pandemia, segundo ele: “O SUS mostrou ser o maior sistema de proteção de direitos humanos do País”. Sistema esse, ainda de acordo com o presidente do Conass, feito por trabalhadores e trabalhadoras que enfrentam inúmeras dificuldades, como o subfinanciamento do sistema e, ainda assim, transformam suas experiências em ações exitosas.

Ao todo 50 trabalhos selecionados foram apresentados durante os três dias do evento que aconteceu na modalidade virtual.

Haroldo Pontes, assessor técnico do Conass

O assessor técnico do Conass e responsável pela organização da Mostra, Haroldo Pontes, disse na abertura dos trabalhos, que a iniciativa faz parte da adesão de Conass, Conasems, Opas, Ministério da Saúde e CNS ao Ano Internacional dos Trabalhadores de Saúde e Cuidadores Organização, declarado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) neste ano de 2021.

“Estivemos juntos no início deste ano escrevendo conjuntamente uma carta de apoio ao ano internacional dos trabalhadores e trabalhadores de Saúde, pois entendemos que eles são fundamentais para a efetivação do SUS. Em uma reunião da CIT nos comprometemos a desenvolver ações que marcassem esse momento e essa mostra é fruto dessa ideia inicial”, disse.

Para a representante da Opas/OMS no Brasil, Socorro Gross, em tempos normais experiências como as apresentadas já deveriam ser premiadas. “No contexto dessa pandemia essa iniciativa é ainda mais importante”, pontuou.

Segundo Gross é fundamental reconhecer o esforço desses profissionais que, mesmo em dificuldade, inovaram e encontraram caminhos. Ela destacou que a mostra não é apenas uma homenagem às equipes responsáveis pelas ações premiadas, mas é também uma oportunidade de servir de experiência para outros países. “Esta é uma oportunidade de reflexão de que podemos fazer coisas diferentes. É imprescindível pensarmos no SUS e analisarmos que temos muitos profissionais que não têm a condição de emprego e a segurança no trabalho adequadas. O futuro da saúde de nossas pessoas está sim, nos recursos humanos”, enfatizou.

Já para o vice-presidente do Conasems, Charles Tocantins a pandemia ensinou algumas lições como a valorização do SUS e dos trabalhadores de saúde. “Essa mostra prova que não bastam as estruturas físicas e os insumos. Sem os profissionais não conseguiríamos salvar milhões de vida”, observou. Ele também citou as ações de promoção e prevenção à saúde como ações imprescindíveis no combate à pandemia.

Vinícius Azevedo, diretor do Departamento de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, disse ser motivo de alegria, a iniciativa do Conass de reportar e representar parte das equipes de saúde e das ações executadas para amenizar o sofrimento gerado pela pandemia. “Sofrimento este que trouxe a oportunidade de experimentar um sistema público acolhedor que permitiu acesso à população aos serviços de saúde”.

Mesa Principal

A mesa principal do primeiro dia da Mostra foi composta pelas professoras Janete Castro da UFRN e Graça Druk da UFBA e pela secretária de Estado da Saúde da Bahia, Tereza Paim. Castro observou que a Mostra tem o propósito de fortalecer o campo na gestão do trabalho e educação em saúde e ressaltou a importância política e estratégica da iniciativa. Segundo ela, as mudanças ocorridas no mundo do trabalho trazem novas demandas para aqueles que atuam nesta área específia e é preciso refletir sobre algumas questões no âmbito da gestão global do SUS.

Graça Druck ressaltou que a crise provocada pela pandemia evidenciou a centralidade do trabalho e também a centralidade do Estado para atuar e combater a pandemia, mostrando, portanto, a importância das políticas públicas e sociais. Druk observou ainda que, antes da pandemia já ocorria a precarização do trabalho tendo em vista o recrudescimento do fundamentalismo neo-liberal que passou a ser implementado no País.

Já Tereza Paim citou algumas estratégias para superar os problemas no campo da Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde, como a inclusão na agenda dos entes federados do financiamento tripartite dessa área, a articulação do ensino-serviço na perspectiva de qualificar a formação dos profissionais, voltada para as demandas e necessidades do SUS, entre outros. A secretária também mencionou alguns desafios que passam pela valorização da ciência, principalmente tendo em vista a atmosfera negacionista no Brasil e a reorganização da agenda das políticas voltadas para a valorização do trabalho e dos trabalhadores de saúde.

Vice-presidente do Conass na Região Centro-Oeste, secretário de Estado da Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino Júnior

Encerramento

No encerramento dos trabalhos, o secretário de Estado da Saúde de Goiás e vice-presidente do Conselho na Região Centro-Oeste, Ismael Alexandrino Júnior, ressaltou que a concepção da Mostra é fruto de uma trajetória de muita dedicação, trabalho e investimento dos diversos atores apresentados nos trabalhos premiados e contribui para disseminar e institucionalizar essa política nacional de gestão do trabalho e educação de forma madura. “Esta iniciativa nos trouxe temas variados e complementares entre si, que nos permitem analisar e descortinar um problema sensível a todos nós do SUS que é a necessidade que temos de considerar e valorizar os nossos profissionais de saúde”.

O secretário afirmou ser impossível pensar na valorização da saúde sem pensar em um caminho que passa pela valorização dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde. “É preciso sempre reforçar que não é possível fazer saúde sem que a saúde do trabalhador”.

Para ele, os trabalhos selecionados revelam a necessidade de profissionais cada vez mais qualificados. A comunicação também foi apontada pelo secretário como algo a ser utilizado de maneira correta. “O trabalho em saúde vem sofrendo importantes transformações em um cenário cada vez mais tecnológico. Precisamos usar essa tecnologia de forma que elas potencializem, de maneira correta a circulação de notícias, mensagens etc. Precisamos comunicar conhecimento de forma adequada”, ressaltou.

Também no encerramento, Lavínia Aragão, diretora geral da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), apresentou a Rede Colaborativa de Escolas de Saúde Pública, criada a partir da compreensão da importância da educação permanente em saúde e, consequentemente, das Escolas de Saúde Pública (ESP). Aragão explicou que a rede se propõe a trocar experiências e apoio mútuo, além de incentivar a implementação nos estados que ainda não possuem escolas.

A Mostra teve a presença de palestrantes internacionais, como o assessor de Recursos Humanos para Saúde Sub-regional da América do Sul – Opas/OMS, Hernán Sepúlveda. Ele enalteceu a cooperação técnica entre as instituições e destacou que a riqueza das experiências apresentadas pelos estados podem ajudar nos desafios dos países da América Latina. 

Sepúlveda também chamou a atenção para o fato de que a pandemia fez com que os líderes políticos percebessem o papel fundamental que os recursos humanos têm frente a uma crise sanitária.  “Sem condições adequadas para esses profissionais, enfrentar crises desse tipo será muito mais complexo”, observou.

Como desdobramento deste intercâmbio entre Opas/OMS e Conass, firmou-se o compromisso de uma agenda internacional para o ano de 2022 na América Latina.

Confira abaixo as mesas baseadas nos cinco eixos da Mostra:

O primeiro eixo: Valorização e humanização do trabalho e dos trabalhadores da saúde no enfrentamento à pandemia da Covid-19 foi apresentado de Émerson Mehry (UFRJ) e Elizabeth Barros (UFES), com mediação de Silvia Tomaz, da Escola de Saúde Pública do Mato Grosso.

O eixo 2, Saúde e Segurança dos Trabalhadores do SUS no enfrentamento à pandemia da Covid-19, contou com participação de Maria Helena Machado, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da Fiocruz, e Rita Fernandes, da Universidade Federal da Bahia, com mediação de Cris Gosch, da Opas.

Ações de Educação Permanente em Saúde (EPS) no enfrentamento à pandemia da Covid-19 foi o tema do eixo 3, apresentado por Tania Celeste, da Fiocruz, e Mário Rovere, diretor da Escola de Saúde Pública da Argentina, com mediação de Bruno Guimarães, da SES/BA.

O Eixo 4 tratou do Planejamento da força de trabalho em saúde no enfrentamento à pandemia da Covid-19 e foi apresentado por Mônica Padilha, da OPS Colômbia, e Ana Maria Malik, da Fundação Getúlio Vargas, com mediação de Ruth dos Santos, consultora do Conass.

O quinto e último eixo foi a respeito da Comunicação e informação da situação de saúde e ações de cuidado aos trabalhadores no enfrentamento à pandemia da Covid-19, com apresentação de Marcele Paim, da UFBA, e mediação de Ruth dos Santos, consultora do Conass.

Na sequência de todas as apresentações das mesas/eixos, foram apresentadas experiências selecionadas pela mostra, em formatos de Comunicação Oral e Vídeo Assíncrono (veja lista completa abaixo).

EIXO 1: VALORIZAÇÃO E HUMANIZAÇÃO DO TRABALHO E DOS TRABALHADORES DA SAÚDE NO ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DA COVID-19

Comunicação Oral

  1. Alagoas: Programa Cuidados ao Luto: Levantamento dos atendimentos realizados na população de Alagoas no cenário da Covid-19
  2. Bahia: Trilhas do cuidado: humanização como potência de valorização do trabalho e dos trabalhadores na pandemia da Covid-19
  3. Amazonas: Servidor Autor: a construção textual como potência para inovação da saúde no enfrentamento da pandemia por Covid-19 no território amazônico

Vídeos Assíncronos

  1. Mato Grosso: Programa Especial e Estratégico de Instrumentalização da Saúde (PEEIS), no contexto da pandemia da Covid-19
  2. Minas gerais: Humanização do trabalho em saúde no enfrentamento à pandemia da Covid-19: relato de experiência
  3. Goiás: Ampliação e qualificação da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) na pandemia da Covid-19 em uma região de saúde de Goiás
  4. Goiás: Estruturação da Rede de Atenção Psicossocial em uma região de saúde no enfrentamento da pandemia de Covid-19 em Goiás
  5. Goiás: Projeto Teia: temas e estratégias intersetoriais com Agentes Comunitários da Saúde – educação, comunicação e promoção da saúde
  6. Amazonas: Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) unificado: uma estratégia de acolhimento e humanização em tempos de Covid-19
  7. Rio de Janeiro: Educação popular e plantas medicinais na atenção básica à saúde: reflexões no contexto da pandemia de Covid-19

Confira no abaixo a íntegra do debate e as apresentações de trabalhos selecionados no primeiro dia da Mostra:

EIXO 2: SAÚDE E SEGURANÇA DOS TRABALHADORES DO SUS NO ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DA COVID-19

Comunicação Oral

  1. Distrito Federal: Programa on-line de apoio emocional e redução de estresse para profissionais de saúde durante a pandemia da Covid-19
  2. Rio Grande do Sul: Cogestão e apoio institucional no enfrentamento da Covid-19: uma reflexão sob a perspectiva da saúde do trabalhador
  3. Bahia: Centro de Testagem e Atendimento da Covid-19: uma estratégia de monitoramento da saúde do trabalhador de saúde na atual pandemia

Vídeos Assíncronos

  1. Amazonas: Estratégias de saúde realizadas no combate a pandemia de COVID-19 em um hospital infantil do município de Manaus
  2. Pernambuco: Núcleo de Assistência a Saúde e Segurança do Trabalhador frente à pandemia da Covid-19
  3. Minas Gerais: Programa Acompanhar: atenção integral em saúde mental para os servidores como estratégia de gestão para a qualidade do trabalho
  4. Tocantins: Psicologia Online: um projeto de saúde mental em um território possível
  5. Goiás: A roda de terapia comunitária integrativa no cuidado à saúde mental dos trabalhadores
  6. Bahia: Estratégias para prevenção de agravos e atenção à saúde dos trabalhadores no enfrentamento da pandemia Covid-19
  7. Rio Grande do Sul: Reutilização das máscaras n95 ou similar e organização da área física como precaução de contato

EIXO 3 – AÇÕES DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE (EPS) NO ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DA COVID-19

Comunicação Oral

  1. Distrito Federal: Estratégias para a garantia de direitos sexuais e reprodutivos durante a pandemia de Covid-19 no âmbito da Atenção Primária à Saúde
  2. Santa Catarina: A pandemia e a adaptação da educação na saúde aos meios digitais
  3. Goiás: Café com Metodologias e Tecnologias – uma formação para o fortalecimento da educação permanente em saúde em Goiás

Vídeos Assíncronos

  1. Rio Grande do Sul: A Educação Permanente em Saúde no Enfrentamento da Covid-19: a experiência do curso de formação de cuidador de idosos
  2. Sergipe: Formação para ACS e ACE no enfrentamento à pandemia da Covid-19 no SUS em Sergipe
  3. São Paulo: Desafios da SES na propositura de ações educativas para enfrentamento da Covid-19 no estado de São Paulo
  4. Sergipe: O uso da ferramenta telessaúde para a educação à distância frente a pandemia por Covid-19 em Sergipe
  5. Acre: Educação Permanente em Saúde no enfrentamento da Covid-19: relato de experiência no contexto da residência multiprofissional em terapia intensiva
  6. Paraíba: Enfrentamento da Equipe Multidisciplinar na Unidade de Terapia Intensiva diante da pandemia Covid-19 na cidade de João Pessoa
  7. Rondônia: Promoção de capacitação profissional para nutricionistas atuantes na linha de frente contra à Covid-19: relato de experiência

Confira no vídeo abaixo a íntegra do debate e as apresentações de trabalhos selecionados no segundo dia da Mostra:

EIXO 4 – PLANEJAMENTO DA FORÇA DE TRABALHO EM SAÚDE NO ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DA COVID-19

Comunicação Oral

  1. Acre: Desafios da implantação de uma Unidade de Terapia Intensiva na pandemia por Covid-19: vivência da residência multiprofissional
  2. Sergipe: A importância do teleatendimento como ferramenta de monitoramento de pacientes suspeitos e confirmados para a Covid-19 no estado de Sergipe
  3. Mato Grosso do Sul: Execução, de forma descentralizada, da Campanha Nacional de Vacinação contra influenza, durante a pandemia da Covid-19

Vídeos Assíncronos

  1. Acre: Implantação de ambulatório de reabilitação cardiopulmonar para pacientes com sequelas de infecção por Covid-19 no Acre
  2. Amazonas: Serviço de Apoio Psicológico: quando a conexão digital se torna espaço de cuidado
  3. Distrito Federal: Implantação do teletrabalho para distribuição de órgãos e tecidos para transplantes no distrito federal: relato de experiência
  4. Santa Catarina: Odontologia à distância: reorganização do processo de trabalho das equipes de saúde bucal no enfrentamento da Covid-19
  5. Alagoas: Programa Alô Saúde Mental: levantamento dos atendimentos realizados na população de Alagoas
  6. Distrito Federal: Plano de Contingência para continuidade do cuidado integral de usuários de alto risco com diabetes e hipertensão arterial
  7. Sergipe: Home Office ou Teletrabalho: experiência em um órgão público, em Sergipe, durante o isolamento social imposto pela crise sanitária

EIXO 5 – COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO DA SITUAÇÃO DE SAÚDE E AÇÕES DE CUIDADO AOS TRABALHADORES NO ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DA COVID-19

Comunicação Oral

  1. Sergipe: Tecnologias digitais aplicadas à Educação na Saúde: um relato de experiência em Sergipe
  2. Goiás: Construção Coletiva do Guia de Saúde Mental: cuidado integral no enfrentamento da Covid-19 na Rede de Atenção Psicossocial em Goiás
  3. Pernambuco: Educação Permanente em ambiente virtual: experiência de um hospital público de Pernambuco no ano de 2020

Vídeos Assíncronos

  1. Sergipe: Produção de vídeo educativo sobre paramentação e desparamentação para profissionais de saúde: relato de experiência
  2. Pernambuco: Curso de aleitamento materno em tempos de pandemia: novas formas de ensinar
  3. Paraná: Guia Orientador para Enfrentamento da Pandemia Covid-19: instrumento de educação permanente e implementação da Rede de Atenção à Saúde
  4. Paraná: Educação Sanitária: o pilar de destaque para o enfrentamento global da pandemia de Covid-19
  5. Rio de Janeiro: Capacitação em prevenção e controle da Covid-19 voltada para Instituições de Longa Permanência para idosos e pessoas com deficiência
  6. Minas Gerais: Ações de Educação Permanente em Saúde no fortalecimento dos serviços de saúde bucal para o enfrentamento à pandemia da Covid-19
  7. Rondônia: Residentes como facilitadores na atualização em reanimação cardiopulmonar em pacientes críticos: um relato de experiência na pandemia de Covid-19

Confira no vídeo abaixo a íntegra do debate e as apresentações de trabalhos selecionados no terceiro dia da Mostra

Ascom Conass

ascom@conass.org.br

(61) 3222-3000

<-Voltar