Programa de Pesquisa para o SUS abre p​razo para submissões de projetos 

Iniciativa é realizada por meio da parceria entre Fapeg e SES-GO com departamento de Ciência e Tecnologia do MS e CNPq

O Governo de Goiás lançou, na quarta-feira, 26, a sétima edição do Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS). O programa é realizado por meio da parceria entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), com o Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (MS) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Para fomentar os projetos, serão investidos R$ 2,25 milhões, dos quais R$ 1,5 milhão provenientes do MS, a serem repassados por meio do CNPq, e R$ 750 mil da Fapeg/Tesouro do Estado de Goiás. Cada projeto receberá um valor máximo de R$ 150 mil.

O prazo para execução dos projetos será de 24 meses e a submissão da proposta vai de 27 de agosto a 11 de outubro, por meio eletrônico. O prazo para divulgação final do resultado está previsto para 18 de fevereiro de 2021.

Pesquisadores doutores poderão apresentar projetos de pesquisa dentro de cinco eixos temáticos: programas e políticas em saúde; gestão e regulação em saúde e educação permanente em saúde; vigilância de riscos e agravos à saúde individual e coletiva; atenção à saúde materno-infantil, da criança, da mulher e do adolescente; causas externas, saúde do trabalhador e populações vulneráveis. Dentro desses eixos, estão disponíveis 28 diferentes linhas de estudos, que vão contribuir para o avanço da pesquisa em áreas críticas e carentes no Estado de Goiás.

Além de contribuir para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação em saúde no contexto do Sistema Único de Saúde, esse programa legitima a ciência e a pesquisa como uma forma de promover a melhoria da qualidade de atenção à saúde no Estado de Goiás segundo suas características e peculiaridades regionais.

Construção do PPSUS
A SES-GO teve papel fundamental no desenvolvimento do PPSUS. Por meio da Escola de Saúde de Goiás, superintendência da SES/GO que compõe o Comitê Gestor do Programa, participou de todas as etapas operacionais, desde a definição de problemas prioritários de pesquisa em saúde, até a definição das linhas prioritárias de pesquisa para a sétima edição do edital (confira o edital ao acessar o link).

A gerente de Pesquisa e Inovação da ESG, Fernanda Pimenta Simon Ferreira, explica que o levantamento dos problemas de pesquisa e eixos temáticos foi construído em conjunto com representantes das macrorregiões, gestores e técnicos da ESG e das superintendências da SES-GO e conduzido pela equipe de Coordenação de Pesquisa dessa gerência. Para isso, foram realizadas duas oficinas presenciais em 2019 e uma oficina em 2020 – em regime remoto devido à pandemia do coronavírus. A definição de 25 problemas de saúde/pesquisa prioritários foi feita na terceira etapa da agenda estadual do PPSUS, edição 2020.

De acordo com a coordenadora de pesquisa da ESG, Karen Michel Esber, a  Portaria nº 191/2018, que estabelece a Política de Pesquisa Científica Estratégica em Saúde da SES/GO, também foi levada em consideração na definição dos temas e linhas de pesquisa para compor a edição 2020 do programa.

“Foram consideradas os critérios estabelecidos pela portaria, no qual reforça a importância de estimular a produção de conhecimento científico estratégico para o SUS e que auxilie o planejamento e gestão de forma a favorecer a melhoria da qualidade de vida e da situação de saúde da população”, explica a coordenadora.

Ciência aplicada no SUS
Criado em 2003, pelo Ministério da Saúde, o PPSUS é uma iniciativa de fomento à pesquisa em saúde nas unidades federativas (UF), que promove o desenvolvimento científico e tecnológico, visando atender as peculiaridades e especificidades de cada Estado brasileiro e contribuir para a redução das desigualdades regionais.

Em sua sétima edição, o PPSUS busca apoiar os projetos de pesquisa propostos a partir de uma análise de situação em saúde, de priorização de problemas e condições relevantes de saúde coletiva, bem como aspectos críticos da gestão dos serviços e sistemas de saúde, de forma a expressar as necessidades da população do Estado.

“O programa permite colocar a pesquisa a serviço das prioridades de saúde e favorece a superação das desigualdades regionais pela busca de soluções que atendam às reais necessidades de respostas aos serviços de gestão, de vigilância e da assistência em saúde no SUS goiano”, destaca a superintendente da ESG, Viviane L. Cassimiro Meireles.

Para acessar o edital, clique neste link e para acessar o site da Fagep, clique neste link

Fonte: Ascom SES/GO

Foto: Divulgação

<-Voltar