Governo deu prioridade e celeridade a ações de saúde em 2020; atenções se voltaram ao enfrentamento do novo coronavírus

Há 11 meses o Governo de Rondônia deu início aos assuntos referentes à prevenção da Covid-19, no Estado. Dois meses antes de ter confirmado o primeiro caso da doença, no dia 30 de janeiro de 2020, foi lançada a primeira manchete relacionada ao assunto: “Sem suspeita de infecção pelo coronavírus, Rondônia faz recomendações à população”. De lá para cá, todas as atenções se voltaram para o enfrentamento ao novo coronavírus, que infelizmente ainda faz vítimas. As ações não cessaram visando evitar a propagação do vírus no Estado.

RECOMENDAÇÕES À POPULAÇÃO 

No dia 31 de janeiro, a diretora-geral da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Ana Flora Camargo Gerhardt, informou que Rondônia estava em estado de alerta, repassando informações e orientações a todas as suas unidades de saúde e aos municípios, ao mesmo tempo em mantinha uma linha de comunicação com as autoridades do Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira, em Porto Velho, para controle e orientação de passageiros e, também, com o Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) e Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para toda eventualidade.

COMITÊ DE ENFRENTAMENTO 

No dia 7 de fevereiro, foi criado o Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus, com participação de 14 organizações ligadas ao sistema de saúde ou de informações e vigilância para alinharem informações e ações de combate à Covid-19.

CORONAVÍRUS EM RONDÔNIA

No dia 04 de março, Rondônia registrou o primeiro caso suspeito de cororonavírus registrado e divulgado pelo Ministério da Saúde. Naquela ocasião, seis outros casos já tinham sido investigados e descartados no Estado, de acordo com os dados da Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa). A suspeita de Covid-19 se tratava de uma paciente que esteve no Japão e na volta ao Brasil fez conexão em Paris. No retorno para o Brasil, embarcou no mesmo voo que um paciente de 61 anos que teve a doença confirmada em São Paulo.

Segundo informações da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), os dois primeiros casos suspeitos de coronavírus reconhecidos pelo Ministério da Saúde em Rondônia foram descartados no dia 12 de março.

Os casos passaram, a princípio, por exames do Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen), e foram negativados para todos os tipos de Influenza. As amostras posteriormente foram encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz (IAL), laboratório referência nacional para análises de coronavírus, e também foram descartadas.

SEM AGLOMERAÇÕES 

No dia 13 de março, o governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, falou à população quanto a investigação do coronavírus no Estado. Na ocasião reforçou que a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) estariam atentas aos exames necessários à identificação ou descarte da doença e recomendou às pessoas que evitem aglomerações. O governador mencionou a avaliação do Governo Federal, segundo a qual, o país tem casos confirmados de coronavírus, considerando-se o balanço oficial do Ministério da Saúde.

LANÇADO O BOLETIM DIÁRIO  

Governo sempre manteve informações diárias sobre o coronavírus

No dia 14 de março foi lançado o boletim diário com informações atualizadas sobre o coronavírus, criado com o objetivo de informar a população sobre os casos em investigação e combater publicações não oficiais (fake news), tendo em vista que os moradores de Rondônia demonstravam preocupação sobre o avanço da doença no País. Na primeira edição informou a existência de 25 casos notificados, sendo 10 excluídos, 13 casos estavam sendo acompanhados e dois em Ji-Paraná, dois em Porto Velho, nove em Ariquemes e dois em Cacoal.

ORIENTAÇÕES À POPULAÇÃO

Também no dia 14 de março, considerando a declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional pela Organização Mundial da Saúde, em decorrência da infecção humana pelo novo coronavírus, o Governo de Rondônia recomendou: Restringir a realização de reuniões presenciais de grupos de trabalho, comissões, comitês e assemelhados, preferindo-se a utilização de meios eletrônicos ou de tele/videoconferência; suspensão de eventos esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais e religiosos, com aglomeração de pessoas (a partir de 100 pessoas ou mais), em ambiente aberto ou fechado, como medidas de segurança; que toda pessoa que chegar do exterior ou de estado brasileiro que tenha caso confirmado de Covid 19 deve manter isolamento domiciliar durante sete dias, caso não apresente nenhum sintoma e, caso apresente, o isolamento seja de 14 dias e que o paciente use máscaras e seja avaliado em uma unidade básica de saúde, UPA ou hospital (na inexistência das duas anteriores).

RONDÔNIA SUSPENDE AULAS

As aulas na rede estadual de educação foram suspensas em Rondônia a partir do dia 17 de março. A informação foi repassada durante entrevista coletiva da qual também participou o secretário estadual da Educação (Seduc), Suamy Vivecananda, que fez o anúncio oficial da suspensão das aulas em todo Estado, assim como a decisão de fechar (proibir) o trânsito de servidores da educação pelas escolas da Capital e interior, para evitar qualquer possibilidade de disseminação do vírus.

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, assinou no dia 16 de março, o decreto número 24.871 que estabelece situação de emergência, pelo período de 180 dias, no âmbito da saúde pública do Estado, além de dispor sobre medidas temporárias de prevenção ao contágio e enfrentamento da pandemia que afeta o mundo, o coronavírus (Covid-19).

Neste decreto ficou estabelecido que todos os estabelecimentos comerciais, industriais e quaisquer outros, nos quais aglomeram-se pessoas, dentro do estado de Rondônia, devem disponibilizar dispensadores com álcool 70% (setenta por cento) gel antisséptico, em locais visíveis e de fácil acesso a todos os clientes e funcionários e, ainda, ter avisos expostos com orientações sobre a importância da higienização adequada das mãos no combate à disseminação de doenças.

CORONAVÍRUS EM RONDÔNIA

Governo decretou estado de Calamidade Pública para fins de enfrentamento ao coronavírus

No dia 20 de março, O estado de Rondônia registrou o primeiro caso de Covid-19 confirmado pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa).

O caso foi considerado importado, tendo em vista que o paciente, vindo de São Paulo, estava em trânsito no município de Ji-Paraná e permaneceu na localidade por aproximadamente 48 horas. Naquela ocasião ainda não existia transmissão comunitária por coronavírus no Estado. As equipes de Vigilância Epidemiológica de Ji-Paraná estabeleceram contato com as pessoas as quais o paciente manteve contato.

ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA  

O governador do estado de Rondônia coronel Marcos Rocha decretou estado de Calamidade Pública para fins de prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Devido a rápida disseminação do vírus, o decreto nº 24.887 de 20 de março de 2020 estabelece a adoção de uma série de medidas de prevenção à doença, sofrendo infrações administrativas em caso de descumprimento.

Foram estabelecidas medidas preventivas como: isolamento, quarentena, determinação de realização compulsória de exames, testes laboratoriais, além de tratamentos médicos específicos.

AEROPORTO JORGE TEIXEIRA

Com o objetivo de intensificar o enfrentamento ao coronavírus, o Governo de Rondônia, no dia 24 de março, reforçou medidas preventivas no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira de Oliveira, em Porto Velho. A ação consta de abordagem, realizada principalmente por equipes da Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa), que orientam os passageiros sobre os cuidados necessários para evitar o risco de propagação do vírus.

“Com o decreto do Governo do Estado, intensificamos o trabalho, principalmente no aeroporto, para o enfrentamento do coronavírus no Estado em decorrência do fluxo de pessoas que chegam de todos os lugares. Com essa preocupação, fizemos uma barreira sanitária, orientamos e coletamos os dados dos passageiros”, explicou Ana Flora Gerhardt, diretora-geral da Agevisa.

Barreiras sanitárias e orientações foram realizadas pela Agevisa

No dia 24 de março, o titular da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, confirmou mais dois casos de Covid-19 em Rondônia. Os infectados eram uma mulher de 36 anos e o marido de 39, que estiveram em viagem ao estado de São Paulo, onde contraíram o vírus. O casal foi acompanhado pela equipe do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) de Porto Velho.

DISK CORONA

De um lado da linha, a população em busca de informações sobre como agir em caso de apresentação de sintomas característicos da Covid-19, causado pelo coronavírus, e onde fazer testes. Do outro lado, profissionais capacitados para orientar o que é recomendado para cada caso. Esse passou a ser o serviço efetuado pelo Disk Corona, disponibilizado para a população de Rondônia no dia 26 de março de 2020.

Para a gerente técnica de Vigilância Epidemiológica da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Arlete Baldez, a iniciativa ajudou à sociedade, mesmo em isolamento social, a ter todo o suporte necessário para o enfrentamento da pandemia. ‘‘O Disk Corona é fundamental. Essa é uma doença nova, então a população tem muitas dúvidas. E aí que se faz necessário esses telefones específicos para passar informações, e, ao mesmo tempo, evita que tenha que ir até uma unidade de saúde, e contribuir com a aglomeração de pessoas. Na dúvida, ligue, a informação é uma arma poderosa na prevenção’’, afirmou Arlete Baldez.

BARREIRAS SANITÁRIAS

As pessoas que transitam em Rondônia vindas de outros estados ou países, por orientação da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), devem passar por ação educativa de conscientização das medidas protetivas para conter o aumento de casos da Covid-19, desde o dia 27 de março. As ações foram programadas para acontecerem em barreiras sanitárias como áreas de fronteira, portos, aeroportos, rodoviárias e nas rodovias nos pontos de entrada das cidades.

A responsabilidade de realização das barreiras é dos municípios, com exceção dos aeroportos que é feita pela Agevisa com apoio das vigilâncias municipais, e coube ainda à Agevisa a orientação das normativas aos municípios.

Barreiras sanitárias foram realizadas em portos, aeroportos, rodoviárias e nas rodovias

A Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) orienta os municípios rondonienses à realização de barreiras sanitárias para prevenção e controle da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Conforme relatório da Gerência Técnica de Vigilância Sanitária, referente aos dias 30 e 31 de março, 17 municípios realizaram barreiras sanitárias em Rondônia.

As barreiras são realizadas em pontos estratégicos, pelas vigilâncias sanitárias estadual e municipais em conjunto com servidores remanejados de outras secretarias, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e voluntários, para reforçar a vigilância nas portas de entrada das cidades.

No dia 1º de abril, técnicos da Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa) atuaram em barreira sanitárias nas embarcações que atracam no porto Cai N’Água, em Porto Velho, em ação conjunta com a Defesa Civil do município e Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

PRIMEIRO ÓBITO POR COVID-19

O exame realizado pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen/RO) confirmou como sendo Covid-19, a causa da morte de uma idosa de 66 anos na madrugada do dia 29 de março. A paciente foi internada no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) após ser encaminhada pela Unidade de Pronto Atendimento Municipal José Adelino de Freitas com tosse, febre e dispneia (dificuldade ou desconforto em respirar). O primeiro óbito registrado por coronavírus em Rondônia foi divulgado o momento em que havia oito casos confirmados no Estado.

PREVENÇÃO E CONTROLE

Em nota técnica, a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), orienta serviços de alimentação quanto às medidas de prevenção e controle da Covid-19. Em Rondônia continuram funcionando açougues, supermercados, panificadoras e restaurantes à margem de rodovias. De acordo com a gerente técnica de Vigilância Sanitária, Vanessa Ezaki, as recomendações feitas aos serviços de alimentação são para minimizar os riscos de contaminação. Na nota ficou estabelecido que estes estabelecimentos deveriam disponibilizar a todos os clientes e funcionários o acesso fácil às pias com água corrente, sabão líquido, toalhas descartáveis e lixeiras com tampa acionada por pedal. Na indisponibilidade de pias, devem manter frascos com preparação alcoólica a 70% para uso de funcionários e clientes, disciplinava a nota técnica.

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 

A primeira edição do Boletim Epidemiológico Covid-19 lançada no Portal do Governo de Rondônia   (www.rondonia.ro.gov.br) no dia 3 de abril pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), apresentou um panorama completo da Covid-19 em Rondônia, assim também como o cenário da doença nos estados da região Norte e o contexto nacional da pandemia. A iniciativa segue a determinação do governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, de garantir transparência ao registro de casos e condutas adotadas para o enfrentamento da Covid-19.

PLATAFORMA DE TRANSPARÊNCIA 

Foi através do www.coronavirus.ro.gov.br  do portal institucional que o Governo de Rondônia mostrou transparência nas ações de prevenção e enfrentamento à Covid-19. No dia 9 de março foi integrada à página, o mapa que permitiu a consulta de quantos casos da doença são registrados por município. A página trouxe ainda matérias jornalísticas, decretos, notas técnicas da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Plano Estadual de Contingência  e o pacote de medidas econômicas. A plataforma também permitiu o acesso aos boletins diários com atualização da quantidade de casos da doença e o boletim epidemiológico que mostra semanalmente um panorama completo da situação da Covid-19 em Rondônia/região Norte/Brasil.

SISTEMA DE COMANDO DE INCIDENTES

Instalado na Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), o Sistema de Comando de Incidentes reuniu profissionais de órgãos estratégicos e manteve um trabalho continuamente para dar respostas céleres e efetivas. Para a diretora da Agevisa, Ana Flora Camargo Gerhardt, a transparência das ações integradas do Governo do Estado foi essencial para deixar a população informada de tudo o que estivesse sendo feito na prevenção e enfrentamento à Covid-19.

RONDONIENSES REPATRIADOS 

No dia 10 de abril, teve início a missão de repatriar estudantes que estavam na Bolívia e moram em Rondônia. A iniciativa aconteceu através de uma ação conjunta da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), através da Defesa Civil do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRO), gerências regionais da  Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), vigilâncias municipais, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) e Polícia Rodoviária Federal.

Para a diretora da Agevisa, Ana Flora Camargo Gerhardt, a medida foi importante para garantir o direito de retorno ao Estado, mas com a segurança e os procedimentos adequados que requer este período diante da pandemia do coronavírus.

PASSAGEIRO 

Medida preventiva para evitar a propagação do coronavírus no Estado foram desenvolvidas

Importante aliada da população rondoniense como medida preventiva para evitar a propagação do coronavírus no Estado, as barreiras sanitárias foram realizadas regularmente nos aeroportos, rodovias, rodoviárias e em portos de Rondônia. As equipes que atuaram nas barreiras realizaram, na prática, uma das principais funções após a abordagem dos passageiros: a rastreabilidade de pessoas que mantiveram contato com viajante que desenvolveu sintomas e teve caso confirmado para o vírus.

A partir de um viajante, que tinha como destino Ouro Preto do Oeste e, consequentemente, no município teve o caso confirmado, as equipes da vigilância sanitária da Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa) monitoraram 164 pessoas que estavam na mesma aeronave que pousou em Porto Velho no dia 21 de março. Este quantitativo envolveu moradores de 18 municípios rondonienses. “As equipes de vigilância sanitária desses municípios foram acionadas. Entraram em cena as equipes da vigilância epidemiológica para contactar cada viajante e investigar se desenvolveram sintomas gripais”, explica Vanessa Ezaki, gerente técnica de Vigilância Sanitária da Agevisa.

RETORNO GRADUAL  

O Governo de Rondônia editou o novo Decreto N° 24.979, na noite de  26 de abril de 2020, que manteve o estado de Calamidade Pública no âmbito do Estado de Rondônia, para fins de prevenção e enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus. Com objetivo da retomada gradual das atividades comerciais, religiosas, educacionais e de prestação de serviços.

Enquanto durar o estado de calamidade pública, ficaram estabelecidas as seguintes medidas: suspensão de visitas em hospitais públicos e particulares; em estabelecimentos penais estaduais e unidades socioeducativas; visitas a asilos, orfanatos, abrigos e casas de acolhimento; do ingresso no território do Estado de veículos de transporte, público e privado, oriundos do território internacional e de cirurgias eletivas em hospitais públicos e privados.

RONDÔNIA É DESTAQUE

Rondônia é destaque como o Estado que mais testou para Covid-19 no País

No dia 10 de julho, o Governo de Rondônia já havia realizado mais de 91 mil testes rápidos e sorológicos para detectar a infecção pela Covid-19, e de se manter consecutivamente no 1º lugar no ranking nacional de transparência na divulgação da doença. Com esse resultado, o Estado foi destaque em rede nacional, em uma emissora de televisão, ao se posicionar em 1º lugar no ranking nacional de testagem para Covid-19.

Num misto de preocupação com a doença e de satisfação pelo reconhecimento nacional do esforço do Governo no enfrentamento e combate da doença, o governador Marcos Rocha, foi enfático ao afirmar que o Estado não vai baixar a guarda e que manterá, enquanto for necessário, todas as medidas de controle da Covid-19, com ações concretas que se complementam com as testagens em todo território rondoniense, com orientações específicas, compra e distribuição de equipamentos de proteção individual (EPI) e ampliação dos leitos hospitalares, clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), entre tantas outras medidas que estão sendo fundamentais nesta jornada de combate à pandemia do  coronavírus.

MAIS DE 100 MIL EXAMES

No dia 20 de julho, Rondônia registrou mais de 100 mil testes realizados para detectar o novo coronavírus desde o início da testagem, em março deste ano, e se mantém entre os estados que mais testam no país.

Com as ações efetivas do Governo Estadual, Rondônia também é destaque quando o assunto é transparência. De acordo com o Portal da Transparência, no mês de abril, o Estado chegou a liderar o ranking com a melhor divulgação de dados da Covid-19, e se manteve entre os primeiros.

Confirmando a tendência que se esperava, o Estado de Rondônia bateu, no mês de setembro, a marca dos 200 mil testes realizados, consolidando sua posição entre os que mais se esforçaram na realização desses exames fundamentais para diagnosticar a Covid-19 em todo o País, conforme indicação do Boletim Covid-19, edição 192, divulgado no Portal, que registrou 201.010 testes desde o começo da pandemia.

PRORROGAÇÃO DO ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA

O estado de Calamidade Pública em decorrência da pandemia causada pelo coronavírus foi prorrogado até 30 de junho de 2021, em Rondônia. A medida é uma iniciativa do governador, coronel Marcos Rocha,  aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado (ALE), que publicou, no mês de dezembro de 2020, a decisão através de decreto.

O pedido do governador tem como objetivo garantir condições para que Rondônia continue avançando no combate à Covid-19, com a preservação de vidas, além de buscar minimizar os impactos sociais e econômicos.

Fonte: SES/RO

<-Voltar