Obras lançadas pelo Conass em 2023 contribuem para o desenvolvimento e fortalecimento do SUS

O conass possui uma vasta bibliografia sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). São publicações voltadas a profissionais de saúde, gestores, técnicos, pesquisadores e todos aqueles que desejam ou precisam conhecer mais sobre as diversas áreas que compõem o universo da saúde pública. Seja no que se refere às normas, à gestão, às políticas públicas, ao financiamento, perspectivas para o setor ou inovações.

Ao longo deste ano, em média, o Conass lançou 2 publicações a cada três meses, totalizando 8 obras lançadas em 2023. As temáticas abordadas vão desde orientações à gestão estadual, passando pela avaliação do gasto público em saúde, segurança do paciente, gestão do trabalho e educação na saúde a tensões e inovações em tempos de pandemia de Covid-19.

Confira abaixo as obras lançadas em 2023 pelo Conass e aproveite o tempinho livre de final de ano para ficar por dentro dos ensaios, análises e reflexões que contribuíram para o desenvolvimento e fortalecimento do SUS.

 

Saúde, Sociedade e Meio Ambiente: ensaios preliminares

Tendo como pano de fundo o debate mundial em torno da Agenda 2030 e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), bem como eventos que vêm causando graves danos em todo o mundo, esta publicação traz ensaios, reflexões e estudos relativos à saúde global e às inter-relações estabelecidas entre o modo de viver das sociedades e os sistemas naturais. 

 

Informações para a Gestão Estadual do Sus 2023-2026

Nesta publicação, a equipe técnica do Conass organizou informações básicas sobre os principais temas envolvendo a organização do SUS, com ênfase no nível de gestão dos governos estaduais. As sínteses elaboradas abordam, entre outros temas, planejamento, governança, financiamento, incorporação de tecnologias no SUS, regionalização e contratualização.

 

SUS: avaliação da eficiência do gasto público em saúde

Para dialogar com a sociedade sobre a importância do financiamento do sistema público de saúde e sobre como a eficiência em algumas instâncias no SUS é prejudicada pelo desfinanciamento, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) resolveram elaborar o livro SUS: avaliação da eficiência do gasto público em saúde. Esta obra serve como fonte de pesquisa para a mídia especializada, usuários, trabalhadores, gestores e dirigentes do SUS, bem como estudantes, professores e especialistas das ciências sociais, da saúde coletiva e da economia da saúde.

 

Conass Documenta 46 – Segurança do Paciente em Serviços de Saúde: uma Prioridade com Múltiplas Dimensões

A cultura de segurança do paciente é considerada um componente estrutural dos serviços de saúde. Ela favorece a implantação de práticas seguras e a diminuição da ocorrência de eventos adversos, ou seja, dos danos aos pacientes causados por falhas durante a assistência. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os danos causados aos pacientes por cuidados inseguros representam um desafio global de saúde pública e é uma das principais causas de morte e incapacidade em todo o mundo. Dividida em três eixos, essa publicação traz estudos e pesquisas sobre planejamento e prestação de cuidados de saúde; promoção da segurança do paciente nas Redes de Atenção à Saúde; e experiências dos estados.

 

Conass Documenta 47 – Gestão do Trabalho e Educação na Saúde: Experiências dos Trabalhadores do SUS no Enfrentamento da Covid-19

As experiências dos trabalhadores do SUS no Enfrentamento da Covid-19 é o pano de fundo do Conass documenta 47, que traz 15 artigos distribuídos em cinco eixos que retratam as várias facetas e as especificidades do trabalho na saúde. O livro compartilha experiências na forma de relatos que trazem à tona os desafios enfrentados pelos trabalhadores do SUS, bem como as soluções encontradas para lidar com as dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19. Aborda também a importância da capacitação como ferramenta fundamental para a gestão do trabalho e destaca a necessidade de fomentar a capacitação dos profissionais da saúde.

 

Coleção Covid-19 – Normativas estaduais para o enfrentamento da Pandemia de Covid-19 no Brasil

Diante do cenário da pandemia de Covid-19, o Centro de Pesquisas de Direito Sanitário da Universidade de São Paulo (Cepedisa), com a colaboração do Conass, passou a monitorar, catalogar e analisar as normas jurídicas publicadas pelos governos federal, estaduais e do Distrito Federal, identificando aquelas que tratavam do enfrentamento da pandemia e consolidando essas informações em uma base de dados. A partir da análise dessas normas jurídicas e das consequências concretas que elas produzem, os autores apresentam suas reflexões sobre alguns dos temas mais recorrentes e relevantes que pautaram os debates públicos ao longo dos últimos anos.

 

Novo Federalismo no Brasil: Tensões e Inovações em Tempos de Pandemia de COVID-19

Analisar a dinâmica das instituições federativas no Brasil, no contexto da pandemia de covid-19, e suas possíveis tendências, inovações e limites no que se refere às relações de poder e ao modelo de gestão de políticas no campo da saúde! Esse foi o objetivo do projeto intitulado Novo Federalismo no Brasil: Tensões e inovações em tempos de Pandemia de Covid-19,  com enfoque em instituições, atores, arenas e dispositivos federativos, bem como no papel desempenhado pela União, estados, municípios e a sociedade civil organizada no setor saúde. Trata-se de um projeto interinstitucional, desenvolvido sob a coordenação dos pesquisadores Sonia Fleury e Assis Mafort,  em interação com pesquisadores de diferentes instituições acadêmicas brasileiras.

 

Manual de Avaliação Multidimensional da Pessoa Idosa para a Atenção Primária à Saúde

Os sistemas de atenção à saúde se deparam, em escala planetária, com um grave problema estrutural determinado pela fragmentação do cuidado que se explica pela natureza singular da transição da saúde. Essa transição compõe-se de dois movimentos interconectados: a transição das condições de saúde e a transição dos sistemas de saúde. A transição das condições de saúde dá-se no contexto dos sistemas de atenção em duas dimensões principais: a transição demográfica e a transição epidemiológica. A transição demográfica já se completou nos países desenvolvidos e está se dando de forma muito profunda e rápida nos países em desenvolvimento, entre eles o Brasil, como mostram os dados recente do censo. O resultado dessa transição é que a proporção de pessoas idosas vem aumentando rapidamente, levando ao incremento exponencial das condições crônicas e pressionando os custos dos sistemas de atenção à saúde.

 

Assessoria de Comunicação do Conass