Seminário discute educação integral para a cidadania

Promover a discussão sobre a importância da educação integral na preparação da criança e do jovem para a prova mais difícil: a vida. Esse é o principal objetivo do seminário “Educação do Ser: Um enfoque holístico pedagógico”, que a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Secretaria de Estado da Educação (Seec) e a secção regional da União dos Escoteiros do Brasil realizam nos dias 16 e 17 de agosto, no Centro Universitário UNI-RN (antiga FARN). O evento comemora os cinco anos de implantação do projeto de educação complementar “Escotismo nas Escolas Estaduais”, que tem sido piloto para implantação em outros estados do país.

O encontro vai reunir educadores, gestores e profissionais de saúde em torno de discussões sobre ética, saúde, cidadania, juventude, tecnologias, diversidade e reforma da educação. A palestra de abertura será do ex-secretário de Educação de Aracaju e professor da Universidade Federal de Sergipe, Jorge Carvalho do Nascimento, autor do livro “A escola de Baden-Powell” que fala sobre o avanço do escotismo no mundo. Os demais palestrantes são a ex-secretária de Saúde de Natal e ex-adjunta do RN, Ana Tânia Lopes Sampaio, a especialista em educação holística, Maria Lucila de Noronha, a pedagoga Jaércia Maria Rodrigues de Oliveira e a secretária de Educação do Estado, Betânia Ramalho.

Segundo o coordenador de Recursos Humanos da Sesap, Carlos Pinto, o seminário pretende envolver os educadores formais e informais na discussão sobre o verdadeiro papel da educação no Século XXI, direcionando para a consciência de ética e cidadania. Ele cita o projeto “Escotismo na Escola” como referência para as discussões, já que tem um programa que vai ao encontro da necessidade de inclusão da comunidade na reconstrução da escola e nas políticas públicas de cidadania.

Escoteiros em campanhas da Sesap

Com atividades complementares ao currículo escolar, o aluno aprende e convive com atividades de escotismo que repercutem na autodisciplina e no bom rendimento escolar. Ele cita, por exemplo, a participação de alunos do projeto na campanha da Sesap contra as Hepatites Virais em que os escoteiros previnem a população quanto aos perigos da doença. “Da mesma forma que o projeto está atuando na saúde pode chegar a qualquer área, como também outros projetos de educação complementar nas áreas de esporte e música, por exemplo, podem atuar na cidadania”, diz Carlos Pinto.

O Projeto “Escotismo na Escola” em menos de um ano passou de 1.600 alunos participantes para 6 mil em 60 escolas públicas do estado, mas a pretensão de Carlos Pinto, que também é presidente da Regional Escoteira do RN, é chegar aos 10 mil até o final do ano e implantar um grupo em cada escola do Rio Grande do Norte. Implantado há cinco anos, o projeto tem se tornado piloto para implantação nos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Ceará e Piauí. No Paraná, o vice-governador e secretário de Educação, Flávio Arns, está implantando o projeto a partir do que viu no Rio Grande do Norte.

Kelly Barros - Subcoordenadora da Assessoria de Comunicação - ASCOM
Redação ASCOM (84)- 3232-2618/3232-2630
Site:www.saude.rn.gov.br
Twitter: www.twitter.com/SesapRN

Foto: internet